~ Experimente o Caminho do Dão ~

Vamos da nascente à foz do rio. De leste a oeste com o movimento do sol e o fluxo da água. Conheça o antigo interior de Portugal com as suas gentes simpáticas, comida caseira e aldeias históricas. Experimente as qualidades regenerativas de estar na natureza e desfrutar do nosso mundo a pé.

Edição de outono de 2022: 8 a 15 de outubro.



Caminho inteiro: 6 dias de caminhada e 1 dia de descanso.
Meio Caminho: 3 dias de caminhada
Média de 18 km por dia

Leia todas as informações práticas.

~~ Entre no vale do Dão ~~

~ O Trilho ~

O rio e o vale do Dão medem cerca de 120 km e no Caminho do Dão pode caminhar pelo vale em 6 dias. O caminho é estabelecido principalmente nas estradas antigas (caminhos) através da paisagem rural e florestal do vale. Em todo o país, a paisagem está repleta destes caminhos antigos que são utilizados pelos habitantes locais há séculos e prestam-se perfeitamente para conhecer a paisagem do interior de Portugal.

Ao traçar a trilha, o foco estava em fornecer uma experiência variada da paisagem, bem como do ato de caminhar. Isso resultou em uma trilha que atravessa o vale, ao longo, longe e de volta ao rio. Experimenta todas as qualidades de um vale do rio, desde as margens sombreadas do Dão até as vistas profundas do vale, à frente e atrás, como podem ser vistas nas bordas do vale.

O rio Dão corre de leste para oeste, o que significa que se anda com a direção da água e com o movimento do sol. Da nascente até a foz do rio, "anda com o movimento dos elementos".

Os dias de caminhada são em média cerca de 18 km por dia e durante a semana atravessa-se o rio Dão 14 vezes.

~ Natureza ~

O vale do Dão é feito de uma variedade rica de paisagens que contam a história do que se passa na natureza e em toda a região Centro / Norte de Portugal. Ao longo dos 120 km de comprimento do vale do rio, encontra desde manchas das florestas autóctones cheias de vida selvagem até as queimadas das plantações de monoculturas de eucaliptos onde quase todo o solo desapareceu. Para o caminhante interessado nesta "história da natureza no século XXI",st século ', caminhar pelo vale do Dão é uma experiência envolvente de uma paisagem que muda ao longo de cada dia de caminhada e no vale resta natureza suficiente para respirar profunda gratidão ao longo do caminho.

A presença do rio que está sempre lá, próximo ou embaixo no vale, é como um parceiro na caminhada. Um parceiro que se move e muda ao longo do caminho, um parceiro que acalma os pés e as pernas cansados de andar e oferece almoços com sombra nas margens. O Dão abriu caminho através da rocha de granito da Beira Alta e as formações rochosas de granito espalhadas por todo o vale acrescentam uma característica interessante à paisagem.

~ Cultura ~

O vale do Dão é rico em património cultural, como as inúmeras pontes romanos e poldras para atravessar o rio. Alguns dos destaques: a rica tradição viva da produção de vinho, o uso pastoral da terra, os contornos dos socalcos das encostas e os pequenos terrenos utilizados para a agricultura familiar. Em termos do "ambiente construído", o caminhante passará por estradas romanas, remanescentes de assentamentos medievais, aldeias e cidades com ruas estreitas de paralelepípedos, casas de granito e praças antigas.

A vida rural - com a terra - ainda é dominante nesta região e é interessante ver como a natureza e a cultura estão ‘entrelaçadas’. A maior parte da atividade humana no vale do Dão ocorre nas bordas. É onde fica a maioria das aldeias e de lá as terras agrícolas descem para o vale.

Ao caminhar pelo Caminho do Dão encontra muitas pessoas trabalhando na terra ou nas aldeias e pequenos cafés. A experiência é que os caminhantes sempre se deparam com gentileza e curiosidade. Claro que ajuda a andar com os caminhantes que também falam Português para que possa ter uma conversa real com as pessoas que encontra pelo caminho. As conversas e o contato com o povo são reconfortantes e, ao caminhar, também vai conhecer aBoa Gentedo vale do Dão.

~ Gastronomia ~

O Dão. Quando a maioria das pessoas ouve essa palavra, pensa em vinho antes de pensar no rio que deu nome ao vinho. Nós somos caminhando numa região de vinho em Portugal e esses três elementos combinados significam: boa comida! Os portugueses adoram cultivar, preparar e comer boa comida e isso é ótimo para os caminhantes que são pessoas notoriamente famintas. O que é melhor do que sentar para uma refeição saudável e saborosa após um longo dia de caminhada? Ou embalar suas lancheiras com saladas, quiches e bolos feitos na hora, sabendo que vai comer isso em algum lugar nas margens do rio mais tarde?

Ao organizar a hospitalidade para a semana de caminhadas, conversamos com os vários chefs para garantir que um grupo de caminhantes famintos recebesse o melhor que a região tem a oferecer. Sem este ser um foco central quando começamos a organizar o programa a experiência gastronómica tornou-se um belo complemento, complementando a experiência sensorial completa da região do Dão. Em linha com a nossa ética de apoio local e sustentável as opções de refeições incluem sempre uma opção vegetariana e para os almoços os chefs preparam pratos frescos que embalamos nas nossas próprias caixas minimizando a nossa pegada 😉
Experimentar a gastronomia regional tornou-se parte integrante da experiência do Caminho do Dão e acrescenta apenas mais um motivo para percorrer o vale do Dão.

~ Espiritualidade ~

O facto de o rio Dão partilhar o seu nome com o antigo Filosofia do Dao (também conhecido como o Tao) é um verdadeiro prenda para um percurso a pé ao longo deste rio. Dao (Tao) significa "o caminho' e "o caminho". Dedicar-se a experimentar e estudar o Dao envolve ampliar o entendimento da natureza e seus caminhos, a fim de buscar equilíbrio e harmonia dentro de si mesmo e em relação à natureza. Caminhar ao longo do rio Dão é uma maneira muito apropriada de se dedicar a experimentar o "Dao" apenas caminhando e sendo. Durante a primeira edição do Caminho do Dão tivemos a prática de contemplar em um citação do Lao Tzu (o autor do Tao Te Ching) por dia.