As virtudes de caminhar

Caminhar é uma das atividades mais básicas em que podemos nos envolver e pode gerar uma conexão profunda com o mundo ao nosso redor, com as pessoas com as quais caminhamos e com nós mesmos. Quando caminhamos, experimentamos uma proximidade com o mundo e todos os seus fenômenos. Se quer conhecer um lugar, passa por ele.

O vale do Dão vai contar-lhe uma história sobre uma paisagem do século XXI e como é moldada pela actual realidade social, económica e climática. Uma história sobre como a natureza sobrevive e luta e sobre as muitas maneiras diferentes de as pessoas interagirem com a terra. Como disse um caminhante perspicaz: Acho interessante como um produto: romance e realidade.

 

Algumas das virtudes de caminhar pelo vale do Dão:
~ Uma caminhada de longa distância como esta oferece ao caminhante tempo e espaço para realmente se sentir livre no mundo e refletir.
~ O trilho chama-se ‘Caminho do Dão’ porque é imaginado como uma peregrinação onde o caminhante, tal como no outro Caminho, pode experimentar a regeneração.
~ Como caminhante e visitante do vale, apoia literal e figurativamente as pessoas que vivem aqui. Sua presença e valorização significa muito em uma região que sofre com o abandono.
~ Caminhar pelo vale por antigos caminhos rurais chama a atenção para o valor deste ambiente e pode ajudar nos esforços para proteger os habitats ao longo do rio.
~ Conhecer um rio desde sua nascente até sua foz pode fortalecer nosso vínculo e amor pela terra e pelos ciclos da vida.

O peregrino caminha para estar presente e experimentar a regeneração. Muitos filósofos e sábios (Nietsche, Thoreau, Buda, Ghandi etc.) vieram antes de nós e foi durante o ato de caminhar que seus insights vieram e seu trabalho se manifestou.

O objetivo do projeto Caminho do Dão é facilitar a experiência de estar em um relacionamento saudável com nós mesmos, com os outros e com o mundo natural.