Caminho do Dão Primavera 2021 ~ Reconectando com o vale.

Finalmente, 2 anos após a caminhada exploratória, o primeiro grupo pôs os pés no Caminho do Dão e percorreu a trilha de 122km pelo vale do Dão. Foi uma semana gloriosa em uma paisagem exuberante ‘cheia de primavera’ e fomos abençoados com um clima perfeito. É difícil saber por onde começar para descrever a experiência ...

 

Vamos começar com o grupo incrível. Uma boa mistura de pessoas da região, estrangeiros e portugueses, o que permitiu uma interessante combinação de perspetivas sobre a experiência. Em 3 dos 6 dias de caminhada ao grupo juntaram-se amigos e colegas locais, acrescentando mais camadas à história de como as pessoas se relacionam com a região do Dão.

O tema ‘relacionar-se com’ é para mim pessoalmente tão importante e foi através do acto de caminhar no vale do Dão que senti a minha relação com a região crescer a cada passo. O sentimento de pertença tornou-se mais forte e sinto que caminhar facilita a ligação com a terra quer seja a sua terra natal ou seja um imigrante como eu. Compartilhar essa experiência com pessoas da região torna a sensação de conexão ainda mais forte.

Quando fecho meus olhos e me imagino de volta ao Caminho, vejo um lindo panorama verde de paisagens, vistas e lugares naturais se desdobrando. Como caminhante, me senti completamente imerso na experiência sensorial. Essa sensação de estar incorporado e interagir com o corpo da terra, por assim dizer, é a imersão na natureza no seu melhor.

O vale do Dão é uma longa extensão de verde, um corredor ecológico, com esparsa presença e atividade humana. Quase sempre éramos apenas nós, o rio e a terra. Era muito relaxante ser lembrado daquela qualidade do vale. Ver novamente, depois de 2 anos, as ‘grandes áreas selvagens’ neste corredor verde me deram um sentimento de incentivo e apoio. Como se me dissessem: nós estamos aqui, vivemos, confinemos em nós e nós confinaremos em vós. Um apelo à protecção destas áreas do vale do Dão.

De dar água na boca, é o que acontece quando eu quero começar a descrever como a comida se tornou um elemento importante da nossa semana de caminhada. Com a maioria dos vegetarianos no grupo, entrei em contato com alguns de nossos hospedeiros para ter certeza de que eles eram capazes de oferecer bons jantares vegetarianos (ricos em proteínas) e lanches para piquenique. Bem, acontece que eles eram mais do que capazes! Às vezes era difícil não parar cedo para almoçar porque estávamos pensando nos deliciosos quiches ou bolos que carregávamos nas costas!

Foi muito bom ver como esses cozinheiros, acostumados a fazer refeições que incluem quase sempre carne ou peixe, transformam seu paladar e criatividade em comida vegetariana de alta qualidade. Na Quinta d’Arminho e nos Moinhos do Dão a preparação da comida esteve nas mãos experientes de Raquel, Hugo e Nuno, que fizeram amizade instantânea com a sua bela comida. A surpresa gastronômica e a qualidade dos lugares que passamos nossas noites adicionaram uma sensação de conforto e às vezes até luxo ao Caminho. Nenhum de nós estava necessariamente procurando por isso, o que nos tornava cada vez mais gratos por isso.

Agora, depois de o primeiro grupo ter tido uma bela semana, está reforçado: Vale a pena o Caminho do Dão! Estou pronto para o próximo outono e para explorar as possibilidades de oferecer caminhadas de meio dia e dia inteiro no vale.
Fique atento!

Com gratidão,
Freya